Comprar ou vender, sempre tem um motivo para o automóvel custar o valor anunciado. Mas e você, sabe quais fatores influenciam no preço de um carro?

Comprar um carro, seja ele zero ou seminovo, é sempre uma aquisição especial. Porém, em virtude do investimento, a atenção deve ser redobrada não apenas para que o veículo atenda às suas necessidades, mas para que o custo realmente se justifique.

Pensando nisso, começamos com uma provocação: você conhece os fatores que influenciam no preço de um carro? Essa é uma pergunta com um leque bastante amplo, afinal, as razões variam ao falarmos de um carro novo ou usado.

Entretanto, independente de qual for a sua compra, traremos as razões que mais influenciam na precificação de um veículo. Assim, você estará mais preparado para avaliar seu investimento e, ao final, tomar a decisão correta.

Veja 4 dicas para ter sucesso na hora de comprar seu auto, clique aqui para ler.

Confira agora os 9 principais motivos que influenciam no preço de um carro.

  1. Impostos
  2. Taxa de juros
  3. Equipamentos
  4. Tabela FIPE
  5. Oferta e procura
  6. Estado de conservação do veículo
  7. Quilometragem
  8. Documentação em dia
  9. Localização

1. Impostos

Se o investimento em um carro zero não é dos mais econômicos, a principal razão é a carga tributária. Em virtude dos impostos, o preço do veículo pode até dobrar na compra final. Esse é um custo que nem o consumidor mais informado conseguirá baratear.

2. Taxa de juros

Assim como o item anterior, a taxa de juros também é mais alta no Brasil em comparação a outros países. Por isso, se você está negociando a compra do seu carro 0 km, vale a pena brigar por juros menores – ainda que, de alguma forma, ela também esteja embutida no preço do carro.

3. Equipamentos

Este item pesa tanto na compra de carros novos quanto usados. Com tanta tecnologia à disposição do consumidor, é natural que, quanto mais agregadas elas sejam, maior será o preço do veículo.

Você consegue se imaginar comprando um carro sem ar condicionado, por exemplo, que já se tornou quase um item de necessidade básica dos motoristas? A mesma premissa vale para outras tecnologias com maior diferencial na compra, como freio ABS, painel de mídia, airbag, entre outras.

Logo, pense bem nas suas necessidades para não pagar a mais por algo que ficará subutilizado.

4. Tabela Fipe

A Tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) atualmente é a principal referência no Brasil para determinar o valor de carros usados e seminovos.

Cabe ressaltar que o chamado Preço Médio de Veículos é apenas uma base para conhecer preços praticados no território nacional, e não necessariamente determina os valores.

Porém, obviamente, no momento que você tem consciência da tabela, você precisará de um motivo muito especial para pagar um valor tão discrepante daquilo que ela apresenta. Não perca este índice de vista!

5. Oferta e procura

A velha lei da oferta e da procura também possui uma influência relevante no preço de um veículo. Pensando no Brasil, por exemplo, o comportamento geral do consumidor indica que modelos mais populares são justamente os mais procurados.

Veja qual o custo-benefício de comprar um carro popular, clicando aqui.

Logo, eles também costumam ser mais comercializados por este motivo. Modelos mais raros, portanto, podem pesar mais no seu bolso.

A oferta e procura também compreende o valor da marca referida. Afinal, algumas delas possuem uma imagem tão forte que “convencem” o consumidor de que vale a pena pagar um pouco a mais para adquirir um veículo com o seu selo. Fique atento!

Compre auto:  fatores que influenciam no preço

6. Estado de conservação do veículo

Se você está comprando um carro seminovo, este provavelmente é o item mais determinante para a precificação do veículo. Se o proprietário conseguiu manter uma boa conservação em termos de motor, pneus, câmbio e outros critérios, é provável que o preço cobrado seja relativamente maior em relação a outros carros usados do mesmo modelo.

7. Quilometragem

Novamente pensando em carros seminovos, o tempo de uso, isto é, a quilometragem do veículo, também terá influência direta no valor cobrado. Especialistas indicam que carros sem características de desgaste são aqueles com até 15 mil quilômetros rodados por ano.

Logo, se você está comprando um veículo com uma quilometragem superior a essa, é provável que você pague menos do que a média do preço praticado no mercado. Partindo desse princípio, a conclusão de que um carro mais antigo e com menor quilometragem será melhor avaliado no mercado é correta.

8. Documentação em dia

O preço de um veículo usado ou seminovo também será fortemente influenciada pela regularidade da documentação. Caso contrário, você pode até pagar menos na compra do seu carro, mas esteja preparado para arcar com os custos de impostos ou de uma documentação atrasada.

No fim das contas, é uma dor de cabeça que não vale a pena. Esteja atento a esses pequenos detalhes que farão toda a diferença no futuro, e para fazer um ótimo negócio, confira aqui nosso estoque de carros novos, seminovos e usados.

9. Localização

Este é normalmente um fator subestimado na compra de um veículo, mas fica o convite para uma análise mais aprofundada. Você perceberá que um carro adquirido em uma região mais distante custará menos do que em uma grande metrópole, por exemplo.

Por isso, essa também é uma rotina indispensável para quem está procurando um novo veículo: pesquise em anúncios e outros sites na internet quais são os preços praticados por aquele automóvel em outros lugares do país.

Gostou das dicas? Nem você achou que tantos fatores influenciavam no preço de um carro, não é mesmo? Portanto, utilize o conhecimento adquirido para acertar na escolha!