Você está pensando em comprar auto ou efetuar a troca do seu carro por um novo modelo? Preparamos algumas dicas para você escolher a forma de pagamento ideal, de modo a evitar preocupações futuras.

O planejamento financeiro é a etapa mais importante antes de adquirir qualquer bem de alto valor, e para comprar ou trocar de carro não seria diferente. Assim, a  forma de pagamento é uma das grandes decisões a serem tomadas. Para cada opção, existem vantagens e desvantagens e é disso que se trata este artigo.

Como decidir a forma de pagamento ideal

Em primeiro lugar, é preciso analisar qual o valor você já tem disponível para a compra do seu novo automóvel, qual a porcentagem do valor total do carro que você tem em mãos. A escolha do veículo, que é assunto pra outro artigo aqui do blog, depende de uma série de fatores relacionados ao custo-benefício e ao desejo/sonho por determinado modelo.

Se o dinheiro que você tem guardado corresponde a 100% do preço do veículo que pretende adquirir, você contará com opções mais vantajosas para negociar com o vendedor. Isso porque é possível obter um desconto à vista, sobretudo na compra de carros seminovos ou usados.

Evitar juros de financiamento é sempre uma boa alternativa para economizar a longo prazo. Porém, em casos em que não o comprador não tem o valor completo ou não quer abrir mão do modelo tão sonhado por um de menor valor, outras formas de pagamento podem solucionar o problema.

No entanto, economizar até atingir o valor desejado geralmente leve algum tempo. Na maioria dos casos o futuro comprador não está disposto a esperar, abrindo o leque para opções como o consórcio, o leasing ou o financiamento.

Para descobrir a melhor decisão para o seu caso, faça uma relação entre o dinheiro disponível para a compra do seu carro em relação ao valor total dele. Com essa quantia em mãos, entenda quanto tempo levaria para juntar toda a quantia e se você está disposto a esperar para ter o veículo em mãos e devidamente registrado em seu nome. O grande problema no caso de esperar juntar todo o dinheiro, é que esse carro pode ser vendido antes ou até mesmo “ficar ultrapassado” e você perder o interesse nele.

Geralmente, quando a decisão é mais prática em que o carro é um meio de trabalho, por exemplo, o tempo é decisivo e um consórcio se torna algo impensável. Para esse caso especificamente, o melhor seria um financiamento, que é bem mais rápido. Tendo em vista os exemplos citados, a decisão pode se tornar mais simples quando temos essas informações claras em nossa mente.

Contudo, é essencial analisar as dicas que serão expostas a seguir, acerca das formas de pagamento para tomar a melhor decisão e fechar o melhor negócio. No site do Interior Carro você encontra muitas ofertas de carros seminovos e usados.

1. Escolha conforme a necessidade

A compra do carro precisa ser imediata? Caso a resposta seja afirmativa, você tem três opções de forma de pagamento: a compra à vista, o leasing ou o financiamento. Cada opção está atrelada ao valor disponível para entrada ou quitação do valor do veículo.

Possui o valor total do carro

A compra à vista é interessante caso seja possível fazer uma negociação para reduzir o valor do carro ou obter benefícios. Nesse caso é interessante que o comprador tenha uma reserva extra para que não fique sem a sua reserva financeira, prejudicando o orçamento familiar. Com todo o dinheiro do valor do carro em mãos é possível fazer excelentes negociações.

No Interior Carros, temos mais de 100 revendas com os melhores carros de Rio Preto e região. Entre e confira sua marca e modelo preferido e faça uma ótima negociação com o vendedor.

Não possui valor para entrada

O leasing é uma forma de pagamento que não necessita de valor de entrada. É uma locação que dá o direito de compra ao locatário no fim do contrato.

Tem juros menores do que o financiamento e não exige a apresentação de garantias para a contratação, como fiador, por exemplo. O locatário fica isento do IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras), pagando somente pelo ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Entre as desvantagens do leasing, podemos citar a posse somente ao fim do contrato e a impossibilidade de quitar o bem antes do tempo previsto. Na opção pela compra o VRG (Valor Residual Garantido) deverá ser pago .

Possui somente o valor de entrada

O financiamento, forma de pagamento bem popular no Brasil, permite obter o carro de imediato, assim como o direito à sua posse. Essa opção é, no entanto, mais burocrática e depende de garantias para acontecer.

Fora isso, o financiamento do valor total do carro não é comum, sendo necessário pagar uma quantia de entrada. A vantagem é a possibilidade de antecipar as parcelas e a compra independente do valor guardado.

Compre auto: 5 dicas para escolher a forma de pagamento ideal

2. Se puder esperar, invista antes da compra do carro

Caso a troca ou compra do carro possa esperar, você tem a chance de investir o dinheiro para efetuar uma compra à vista ou contar com o maior número de parcelas do consórcio para obter o bem com juros menores.

O consórcio tem, em média, 180 meses para ser pago, enquanto o financiamento tem o teto de 72 meses. Com isso, as parcelas serão menores.

Nesta opção, o comprador não terá certeza de quando será contemplado, mas quando isso acontecer, o crédito recebido poderá ser utilizado para negociar um veículo à vista.

O investimento, por sua vez, possui diversas modalidades e taxas de rentabilidade. Ter tempo para ver o seu dinheiro render antes de efetuar a compra também pode ser considerado um luxo.

3. Se a renda mensal permitir, reduza o número de parcelas

Algumas pessoas optam por parcelar no cartão de crédito. É vantajoso, caso não comprometa o limite total disponível e o valor das parcelas esteja contemplado no orçamento mensal. Em alguns casos, quanto menor o número de parcelas, menor a incidência de juros.

É ideal também para os casos em que não há desconto à vista e as parcelas são fixas. O parcelamento poderá permitir manter o dinheiro guardado rendendo, possibilitando a amortização de parcelas antes do prazo de vencimento.

4. Comprometa o mínimo possível de sua renda

Essa dica é válida para todas as formas de pagamento apresentadas. O comprador deverá evitar o comprometimento total da renda, seja a mensal ou o valor guardado. Contar com uma reserva de emergência é essencial, assim como evitar o endividamento a ponto de dificultar o orçamento familiar.

O valor de compra do carro e da sua manutenção devem estar de acordo com a capacidade financeira do comprador. Muitos carros possuem um valor acessível para a compra, mas dependem de um alto investimento para a manutenção.

Esses detalhes são importantes para tomar a decisão de forma consciente. Compare preços e simule diferentes formas de pagamento para garantir um bom negócio.

5. Conheça o Interior Carro

Ainda não conhece o nosso portal? Somos o maior classificado online de compra e venda de carros de São José do Rio Preto – SP, contamos com 60 associados, mais de 100 revendas com os melhores carros e as melhores ofertas. Visite nosso site!