O mercado automotivo passou por um período turbulento com as incertezas da conjuntura econômica. Entretanto, esse importante setor mostra uma ampla recuperação para quem quer comprar auto. As vendas cresceram por dois anos consecutivos e a questão tecnológica tem um importante papel nessa retomada muito bem-sucedida.

A ANFAVEA afirma que as vendas de veículos automobilísticos atingiram um crescimento de 12% no primeiro trimestre de 2019 (os licenciamentos cresceram 9% no mesmo período). A britânica IHS Markit destaca que em 2022 as vendas de automóveis no Brasil alcançarão 3 milhões de veículos (lembrando que em 2016 foram comercializadas 2 milhões de unidades, já em 2018, 2,46 milhões).

No Interior Carro é possível tirar todas as dúvidas sobre as melhores opções de veículos. Isso porque somos o maior classificado online de carros de São José do Rio Preto e região, com mais de 100 revendas de confiança e procedência.

Tecnologia e o desenvolvimento do setor automotivo nacional e internacional

É evidente que as novas possibilidades tecnológicas têm um impacto pragmático e direto sobre a indústria automobilística, que lança mão de diversas e inovadoras ferramentas para otimizar a produção dos automóveis e, consequentemente, reduzir os custos e agilizar o processo produtivo. Portanto, os avanços tecnológicos são e serão aliados importantes dessa indústria global.

Contudo, é importante frisar que os próprios automóveis são produtos que contam, cada vez mais, com diferentes instrumentos tecnológicos, como por exemplo, a utilização de Inteligência Artificial (IA) em diversos elementos do veículo, que está crescendo aceleradamente.

O que aponta para uma tendência no mercado, que vem desenvolvendo contundentes tecnologias de automação dos carros.

A automação é o futuro

A Sociedade dos Engenheiros Automobilísticos definiu cinco níveis de automação automotiva. O nível 1 é o mais elementar e apenas auxilia o motorista em algumas funções, enquanto que o nível 5 corresponde ao maior grau de automação veicular, em que o automóvel é conduzido integralmente por mecanismos de Inteligência Artificial, ou seja, não há necessidade de um motorista.

O novo Audi A8, lançado no Salão do Automóvel de Frankfurt, já é considerado nível 3. Tal fato evidencia o avanço efetivo das tecnologias de automação e aponta para uma tendência na indústria automotiva, que apresentará grandes inovações nesse segmento.

As tendências do mercado automotivo

Além da automação, a PriceWaterhouseCoopers (PWC) destaca que outras quatro tendências impulsionadas pelo desenvolvimento tecnológico também movimentarão o mercado automotivo nos próximos anos: ampla conectividade, matriz energética elétrica, compartilhamento e a troca frequente dos veículos.

A lógica da “Internet das Coisas” presente em diversos segmentos da indústria, do comércio e do ramo de serviços, também está cada vez mais presente nos produtos automobilísticos. Carros com múltiplas possibilidades de conexão já são uma realidade contemporânea e, certamente, serão aprimorados e otimizados em um futuro próximo.

Ou seja, a alta conectividade será um elemento comum nos produtos automotivos já nessa década.

Outra propensão do setor automobilístico é a substituição dos combustíveis fósseis – que estão em escassez e os preços podem variar drasticamente de acordo com a conjuntura política de determinados países produtores – pela eletricidade.

Como a tecnologia está sendo utilizada no mercado automotivo?

Os veículos elétricos já têm bastante adesão em determinados nichos de mercado, entretanto, a tendência na indústria é a progressiva substituição dos carros movidos a gasolina e diesel por automóveis carregados eletricamente. Além do impacto ambiental positivo, essa nova matriz energética também reduzirá os custos dos motoristas.

A mudança nos hábitos dos consumidores também impôs uma nova demanda para o mercado automotivo. A questão do compartilhamento de veículos caiu no gosto popular e essa perspectiva está crescendo fortemente em diversas regiões do planeta, em especial nas grandes e médias cidades.

Além das alternativas de compra e utilização “coletivas” de automóveis, há um forte crescimento no uso de transportes por aplicativo – que muitas vezes são compartilhados por até quatro ocupantes. Isso vem movimentando intensamente o segmento de locação de veículos, responsável por garantir o instrumento de trabalho a diversos motoristas de aplicativo que aderem à opção do aluguel.

Com o acelerado desenvolvimento tecnológico e a forte otimização da produção industrial, há uma tendência de atualização recorrente dos produtos adquiridos pelos consumidores. Ou seja, com a redução de preços (a partir da diminuição dos custos de produção, propiciada através da introdução de novas tecnologias na indústria de automóveis) e com o aumento da velocidade dos upgrades, a renovação/troca de produtos por versões atualizadas crescerá de forma significativa.

Esse constante aumento no volume de vendas obviamente movimentará o mercado automotivo. E se você está buscando um auto seminovo ou usado, acesse o site do Interior Carro e confira ofertas exclusivas das mais variadas marcas e modelos.

Desafios do novo cenário tecnológico

É evidente que as empresas que objetivam atender a essas demandas precisarão injetar vultosos investimentos em tecnologia, inovação e criatividade. Em um mercado cada vez mais competitivo, existe também a tendência de “união de forças” para responder da maneira mais adequada a esse novo cenário da indústria automotiva.

Prova disso é o fato de que grandes instituições do setor estudam a possibilidade de fusão para ampliar a capacidade de investimento e, consequentemente, conquistar uma fatia maior desse mercado. A Fiat Chrysler, por exemplo, apresentou no início de 2019 uma proposta de fusão com a montadora francesa, Renault.

A ideia era criar um grupo grande o suficiente para trabalhar da melhor forma nesse contexto de ampla aceleração tecnológica. Caso a fusão entre as montadoras tivesse sido selada, a nova empresa assumiria a liderança no mercado automotivo do Brasil, e chegaria à terceira posição no cenário global, ficando atrás apenas da alemã, Volkswagen, e da japonesa, Toyota.

Plataformas digitais e interação com os consumidores

As novas perspectivas tecnológicas também alteram a forma como os consumidores buscam informações sobre veículos antes de efetuarem a compra. Um estudo da Google Auto CB afirma que 96% dos usuários no Brasil utilizam a internet para se informar sobre as características, modelos e marcas de automóveis. Desse total, 86% realizam a pesquisa através de smartphones.

Atualmente é possível, inclusive, efetuar a compra de veículos pela via digital, o que agiliza bastante o processo e amplia as possibilidades de vendas no setor. Essa interação entre cliente e empresa automotiva a partir das plataformas digitais também é uma forte tendência e terá um crescimento muito significativo nos próximos anos. Confira os anúncios da maior plataforma de busca de veículos da região de São José do Rio Preto, o Interior Carro.