Não é qualquer carro que faz sucesso por tanto tempo. Confira tudo sobre o Celta, e seus 20 anos de história.

Lançado oficialmente nos anos 2000, o Celta foi um grande sucesso de vendas da Chevrolet. Isso porque veio com o intuito de ser o carro mais barato do Brasil.

Mas será que ele conseguiu? Continue lendo esse artigo para saber essa e outras curiosidades desse auto tão querido pelos brasileiros.

E já que estamos falando de carros baratos,  aproveite pra saber quais os carros mais baratos e populares atualmente no Brasil.

Está querendo comprar um Celta ? Então, saiba a importância de escolher uma boa revenda de carros, clicando aqui.

Mas agora, vamos a história do Chevrolet Celta!

Como tudo começou:

A história de sucesso do Celta teve início alguns anos antes do seu lançamento oficial, ainda nos anos 90.

Quando começou a ser planejado, em 1996, o modelo apresentava outro nome. Que se formos traduzir seria aqui no Brasil chamado de “Arara Azul”.

O que se sabia nesse início era que o carro seria construído na mesma base do Corsa, sendo assim mais um veículo da categoria dos compactos, medindo pouco mais de 2 metros de cumprimento.

Mas diferentemente de outros veículos que sofrem algumas modificações do “carro base” o Celta teve tratamento diferenciado. Ele teve design exclusivo criado por Paulo Konno especialmente para seu lançamento em nosso país.

Outra novidade que chegou com o Celta em 2000 foi o local de sua produção no país. Pela primeira vez na história da Chevrolet, um modelo foi montado fora do Estado de São Paulo.

E nesse caso, o Estado escolhido foi o Rio Grande do Sul, mais especificamente a cidade de Gravataí.

celta-20-anos-de-história

Características do Celta:

Como já falamos, o Celta chegou com muitas novidades em seu exterior, que foi super diferenciado pra época, além do sido desenhado por um famoso designer automotivo.

Mas não podemos dizer o mesmo para o seu interior.

Isso porque, como dissemos antes, ele veio pro mercado com a proposta de ser o carro mais barato do Brasil. Dá pra imaginar que para conseguir esse feito, algumas coisas ficariam em desvantagem, não é mesmo?

E foi mesmo prejudicado. Quem já teve um Celta ou já andou em algum das versões mais antigas, sabe que o interior do carro é bem “seco”.

O Celta chegou ao mercado com um painel todo de plástico duro cinza, sem muitos recursos. Ele continha o mínimo necessário para seu funcionamento e segurança do condutor: marcador de velocidade, marcador de quilômetros percorridos e sinalizador de combustível no tanque.

Ainda falando do interior do Chevrolet Celta, as laterais das portas não possuíam tecidos, apenas plástico. Os bancos apresentam espumas e tecidos mais baratos, tudo para baratear o custo final do auto.

Mas, se você está precisando reformar a tapeçaria do seu Celta, você encontrará os melhores materiais automotivos na RIOPLAST. Há 32 anos no mercado, eles enviam os materiais originais da montadora par todo o Brasil, clique aqui para comprar.

celta-20-anos-de-história

Como tudo começou:

Como você já sabe, o Celta começou a ser projetado em 1996, mas só chegou ao mercado brasileiro no ano 2000.

Apesar de todas as economias que foram feitas no modelo, ele não conseguiu o feito de ser o carro mais barato do mercado automobilístico brasileiro.

Seu custo final foi de pouco mais de R$13.000,00 e isso o deixou em segundo lugar, perdendo pro Uno Mille. Mesmo assim, com esse valor ele conseguiu superar outros concorrentes fortes como o Gol, da Volkswagen e o Ka da Ford.

E já que estamos falando de outros carros que foram sucesso, que tal conferir a história do Gol e seus 40 anos de sucesso, clicando aqui?

Mas, voltando a falar do Celta, já citamos sobre seu exterior. Porém, e o motor? E seus acessórios e itens de série?

Motor e acessórios do Celta:

No ano 2000 o Celta chegou ao mercado brasileiro com uma versão de duas portas e motor com potência 1.0 de 60 cavalos.

Seu câmbio era transmissão manual de cinco marchas e a buzina ao invés de estar no meio do volante, era acionada por uma alavanca próxima as de acionamento de setas e faróis.

Tinha tempo de aceleração e frenagem muito parecida com os dos seus concorrentes já citados (Uno, Gol e Ka). Mas quando se tratava de economia, ele ficava pra trás.

O Celta fazia em média 9 quilômetros com 1 litro de combustível nas ruas, e por volta de 14 quilômetros/Litros na pista. Números nem um pouco ruins, é fato. Mas quando comparado ao Gol, Ka e Uno era o “mais gastão” entre eles.

Além disso tudo que já falamos, o Celta deixou a desejar em não oferecer alguns itens para maior conforto e comodidade dos condutores.

Entre eles, podemos citar a ausência de ar condicionado, os retrovisores externos têm ajuste apenas do lado de fora do carro, além de não possuir direção hidráulica.

celta-20-anos-de-história

Itens opcionais do Celta:

Se engana quem pensa que o Celta só poderia ser visto na rua nessa versão “secona”. Que nada!

Entre os opcionais estavam o kit de vidros e travas elétricos, rodas de aro 14 (maiores que as que vinham da montadora), o para-choque na cor do veículo (já que o original era de plástico preto), adesivos para a lataria e até aerofólios.

É claro que esses itens elevaram o custo final do veículo, mas pelo menos deram mais conforto aos condutores.

Histórico do Chevrolet Celta:

Com seu lançamento no ano 2000, o Celta mostrou que caiu no gosto dos brasileiros. Já que no ano seguinte, mais de 100 mil carros já haviam sido comercializados.

Em 2002 foi lançada a versão com quatro portas, aumentando a praticidade e conforto dos passageiros. Essa versão também teve uma melhoria no quesito motor, se antes era 1.0 em 2002 passou para 1.4, além dos novos botões no painel interno do auto.

Para 2004 as novidades foram lançadas três novas versões: sendo da mais básica para a mais completa, Life, Spirit e Super.

No ano de 2005 a novidade veio nos itens opcionais. Esse kit prometia deixar qualquer Celta (seja ele 2 ou 4 portas) com um estilo off-road. Sendo assim, apresentava “quebra-mato” frontal e traseiro, estribos laterais e também adesivos.  

celta-20-anos-de-história

Ainda nesse ano de 2005, a grande novidade ficou por conta do motor 1.0 passar a ser FlexPower, podendo ser abastecido com etanol ou gasolina.

Finalmente em 2006 veio a primeira mudança de estilo do Celta.

Influenciado pelas características do Vectra, o compacto recebeu faróis maiores, novo para-choque, a placa traseira saiu do para choque e foi para a tampa do porta-malas. Isso sem falar na buzina, que finalmente foi para o centro do volante e novidades também no painel interno.

E as mudanças continuam:

Em 2010, a Chevrolet começou a desenvolver o Onix, o que fez com o que o Celta perdesse um pouco sua força no mercado. Mas nada que o tirasse das ruas.

A segunda mudança no estilo do Celta ocorreu seis anos depois, em 2012.

Nessa nova repaginação, os faróis seguiram iguais, porém com uma máscara negra. O volante também foi novidade, assim como a tapeçaria e o painel foi apresentado com uma nova cor nova de iluminação, a “Ice Blue”.

E fechando a história desse auto tão popular no Brasil, temos o ano de 2014. Já no primeiro semestre a produção do Celta foi encerrada em Gravataí.

Mesmo o modelo tendo vendido mais de 1,7 milhões de unidades desde o início da sua produção até 2014.

Isso para que as vendas do Onix ganhassem força e ele assumisse a liderança de venda dos compactos, como vem acontecendo até hoje.

O Onix está há alguns anos na liderança, inclusive foi o carro mais vendido no primeiro semestre de 2020. Aproveite para ver quais outros carros foram os mais vendidos em 2020.

.

celta-20-anos-de-história

E se você é um dos apreciadores do Celta, mas está precisando vendê-lo, procure uma revenda de confiança, com procedência e venda seu carro! Confira, clicando aqui se é melhor comprar auto em revenda ou particular.

Mas se você quer comprar um Celta, temos a solução. Confira 6 dicas importantes antes de comprar um carro, é só clicar aqui.

Mas e aí? Já conhecia a história do Celta? Já teve um Celtinha pra chamar de seu? Compartilhe esse conteúdo com os apaixonados por esse carro que faz muito sucesso até hoje. 🙂