O mercado dos seminovos e usados está super aquecido. E nós listamos 7 coisas para ficar atento antes de vender seu carro. Confira!

Você acha que já está há muito tempo com o mesmo carro e acredita que agora é a oportunidade de passá-lo adiante para comprar outro auto? Pois bem, o que para você pode ser velho, para outros pode ser uma grande realização, já que muita gente prefere não continuar andando a pé.

Entretanto, sem cuidados básicos, a venda de um veículo pode se tornar uma experiência estressante, pois na teoria parece ser simples, mas na prática, sabemos que há toda uma burocracia envolvida para que esse processo seja concluído com sucesso.

Pôr à venda na internet, negociar com possíveis compradores o preço sugerido livrando-se de pechinchas, fazer o test drive, organizar a documentação junto ao órgão competente, como o Detran.

São tantos pontos que, quando nos damos conta realmente percebemos que é bom pesquisar sobre o assunto antes, não é mesmo?

No geral, são todos esses fatores que precisam ser avaliados antes de realizar o processo de venda de um veículo. Pensando nisso, formulamos um guia prático com sete dicas do que você precisa estar atento antes de vender seu veículo.

Confira então, 7 pontos para ficar atento antes de vender seu carro:

  1. Verifique sua papelada;
  2. Inspecione seu veículo;
  3. Limpe o carro;
  4. Faça sua pesquisa;
  5. Mecânico de confiança;
  6. Trabalhe o marketing do seu produto;
  7. Quando e onde vender seu carro.

1) Verifique sua papelada

Inspecione as documentações e verifique se os arquivos estão completos para mostrar ao comprador. Ou seja, se seu carro estiver no empréstimo, você precisará ter certeza da quantidade exata de pagamento restante. Para estar certo, pergunte ao credor quais documentos você precisará preencher antes de poder vender seu carro.

Agora, se você não tiver um empréstimo de carro, prepare os seguintes documentos para transferir a propriedade do seu veículo.

  • Documento de identificação (RG ou CNH), original e cópia;
  • Três últimos comprovantes de residência, sejam eles em seu nome ou no de algum indivíduo com parentesco em primeiro grau;
  • Certificado de Registro de Veículo (CRV) original;
  • Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), original e cópia. Em caso de atraso, é necessária a quitação dos débitos;
  • Comprovante de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Geralmente, é de responsabilidade do proprietário anterior;
  • Comprovantes de débitos e multas, todos quitados;
  • Certidão de pesquisa do RENAVAM, a qual está disponível sem custo no DETRAN da sua cidade. Ela é de suma importância, uma vez que certifica a inexistência – ou não – de possíveis débitos.

2) Inspecione seu veículo

É aconselhável que seu carro seja inspecionado para verificar se está nas condições corretas antes de colocá-lo à venda. Tudo por uma questão de precaução mesmo. Até porque, ao inspecioná-lo, você terá noção dos pontos fracos e fortes do seu auto e, consequentemente, terá uma ideia do preço atual do seu veículo.

Você, ex-dono, pode pensar que ele está perfeito, mas um terceiro pode apontar falhas que você nunca notou antes. Quando isso acontece, há duas opções: consertá-lo, ou vendê-lo a um preço mais baixo. Por isso é importante que essa avaliação seja feita antes de colocar o carro a venda.

3) Limpe o carro

A primeira impressão é a que fica e o ditado popular não erra, principalmente quando o assunto é automóvel. A máxima aplica-se não apenas às pessoas, mas também ao seu veículo. Apresente seu carro nas melhores condições possíveis para que você possa obter um bom preço.

Clique aqui para conhecer os cuidados importantes com a higiene do seu carro!

7 coisas para ficar atento antes de vender seu carro

4) Faça sua pesquisa

Novamente: inspecione! Isso porque não é bom confiar na avaliação do seu mecânico. Na internet, faça uma pesquisa sobre o preço do automóvel. Isso lhe dará uma chance muito melhor de fornecer um preço exato para o seu carro.

Esteja atento aos seguintes detalhes: peças interiores de difícil acesso; odor do carro; maçanetas, botões e marchas; estofamento de couro; tapete; janelas; pneus; manchas, amassados e arranhões; motor e bateria do carro; suportes de copo, suportes de telefone, dentre outros.

5) Mecânico de confiança

Caso não se sinta seguro para realizar você mesmo a limpeza e inspeção peça a um profissional para limpar e detalhar seu veículo. Porém, marque presença. Não demonstre que está confiando cem por cento. Demonstre desconfiança!

No mais, um mecânico pode ser útil porque possui as ferramentas apropriadas para limpar seu carro, como também tem conhecimento quando se trata de reparar pequenos arranhões sem gastar muito.

6) Trabalhe o marketing do seu produto

Não basta tirar fotos do seu carro. Elas devem ter qualidade e nitidez, de modo a mostrar o produto em todos os ângulos. Tire fotos usando boa iluminação. Caso contrário, pode tornar a cor do seu carro mais escura do que parece.

Além de tirar uma foto nítida do exterior do seu carro, inclua também o interior. Não se esqueça de incluir grandes e pequenas imperfeições, como danos, amassados e arranhões.

Agora, sobre quais áreas fotografadas, algumas sugestões são: a parte da frente do carro; área de visão lateral do motorista; parte traseira; lado do passageiro; volante; pneus; cintos de segurança para crianças; entre outros.

Leia também sobre os fatores que influenciam no preço do seu carro, clicando aqui.

7) Quando e onde vender seu carro

Essa não é uma regra simples, mas geralmente períodos de grandes festas e feriados como Natal, Ano Novo, Carnaval e Páscoa são momentos em que muitas pessoas estão de férias ou procuram não focar nestes assuntos. Então dê preferencia para anunciar seu carro em outras épocas.

Outro fator é se voltar aos lugares em que você pode postar seu anúncio. A internet é um espaço onde você pode intermediar um primeiro contato com um possível comprador, de modo mais seguro.